Category: Gestão de Pessoas (page 3 of 5)

O impacto da Ginástica Laboral no desempenho de sua equipe

O sedentarismo é muito comum nos ambientes organizacionais, onde os funcionários passam a maior parte do dia sentados em frente à um computador ou realizando atividades repetitivas.

Manter uma equipe produtiva e motivada é um desafio para as grandes empresas, mas gera um impacto direto na performance e desempenho dos trabalhadores. Para isso, é importante investir em meios que incentivem os colaboradores, como a ginástica laboral.

Através da gestão da qualidade de vida no ambiente de trabalho é possível proporcionar um clima organizacional harmônico, onde os funcionários se sentem engajados e valorizados pela empresa.

 

O que é?

A ginástica laboral é meio de estimular um estilo de vida mais saudável para os funcionários, contribuindo para a valorização do bem-estar no trabalho.

Exercícios físicos leves realizados no ambiente de trabalho, durante o expediente. Seu objetivo é melhorar a saúde dos funcionários, prevenindo e aliviando dores ou incômodos, para evitar lesões futuras por esforço repetitivo e doenças ocupacionais. Representa a preocupação das empresas com a qualidade de vida dos colaboradores.

 

Como pode ser realizada?

Pode ser realizada diariamente, conduzida por um profissional adequado, como um professor de educação física ou fisioterapeuta. Os exercícios devem ser desenvolvidos de acordo com o tipo de atividade realizada pela equipe, como exercícios para corrigir problemas na postura para profissionais que passam o dia sentados.

Tipos de ginástica laboral:

Ginástica preparatória: dura entre 5 e 10 minutos, pode ser feita nas primeiras horas do dia, antes do início do trabalho. Consiste em exercícios de aquecimento ou alongamento capazes de melhorar a disposição.

Ginástica compensatória: pode ser realizada durante a jornada de trabalho, como em uma pausa, consiste em atividades de descontração e relaxamento muscular, utilizando exercícios de alongamento e respiração.

Relaxamento: realizada no final do expediente, serve para minimizar o ritmo de trabalho, fazendo com que os funcionários possam ir para suas casas sem estresse e tensões, através de exercícios de respiração, meditação e massagens.

Corretiva: com o objetivo de combater situações de desconforto no trabalho que podem causar consequências desagradáveis para o corpo, busca encontrar o equilíbrio muscular através de exercícios de fortalecimento e alongamento dos músculos.

 

Benefícios da ginástica laboral para os colaboradores e a empresa

A prática da ginástica laboral permite que o colaborador movimente seu corpo, impactando em sua saúde física e mental, tonando a equipe mais saudável, garantindo:

– Produtividade: melhora o aproveitamento dos funcionários no trabalho.

– Integração: proporciona um momento de descontração e integração entre a equipe.

– Redução de doenças ocupacionais: a ginástica ajuda a prevenir doenças crônicas como problemas de coração, hipertensão e diabetes.

– Redução da fadiga: faz com que os trabalhadores tenham mais disposição.

– Satisfação: os funcionários passam a se sentir mais valorizados, agindo com mais dedicação e satisfação na realização de suas tarefas.

 

Como implementar

A empresa deve contratar um educador físico ou fisioterapeuta especializado para conduzir as atividades de forma correta e segura. O ideal é que a empresa separe um lugar específico para realizar os exercícios, para que os funcionários não precisem se deslocar.

Os líderes devem incentivar os colaboradores a fazerem parte, mostrando como seus benefícios e resultados contribuem para a saúde de todos.

Empresas que pensam na qualidade de vida dos funcionários se destacam em meio à outras. Esta iniciativa possui resultados efetivos e imediatos, ajudando a prevenir riscos ocupacionais, que afetam grande parte dos profissionais da atualidade.

Acompanhe o nosso blog.
Curta a nossa página no Facebook.

Outubro Rosa: vamos falar sobre câncer de mama no trabalho?

O câncer de mama é o tumor maligno que mais mata mulheres no Brasil e no mundo, depois do câncer de pele. Neste ano, o INCA (Instituto Nacional de Câncer) registrou a estimativa de que cerca de 59.700 novos casos tenham sido diagnosticados, sendo 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Dos diagnósticos de câncer em mulheres, 25% dos casos são do câncer de mama.

Um estudo feito pelo Hospital do Câncer de Barretos revelou que nos últimos 14 anos, a taxa de mortalidade entre as mulheres caiu cerca de 42,85% em decorrência de diagnósticos precoces e exames preventivos, como a mamografia e o autoexame feito na mama.

No mês de outubro, a conscientização sobre os riscos e o combate ao câncer de mama deve ser discutida no ambiente de trabalho, afinal, o câncer não escolhe cor, idade ou cargo.

 

Ações sobre o outubro Rosa

Mesmo sendo um tabu no meio empresarial, homens e mulheres devem ser estimulados a participar das atividades alusivas ao mês, permitindo que os colaboradores estejam preparados para auxiliar uns aos outros.

Algumas ações podem ser adotadas para incentivar a participação dos funcionários:

– Faça o dia Rosa com a sua equipe, onde todos possam participar vestindo algo rosa;

– Distribua materiais de orientação e conscientização;

– Faça uma decoração com o tema do mês no ambiente de trabalho;

– Promova palestras motivacionais com médicos, psicólogos e mulheres que venceram a doença;

– Estimule a realização de trabalhos voluntários com organizações que combatem e previnem o câncer;

– Incentive a prática de exercícios físicos e ginástica laboral;

– Estimule a realização de exames preventivos entre as colaboradoras;

– Abra um espaço para o diálogo entre os colaboradores;

 

Benefícios para a sua empresa

A campanha deve ser adotada por meio dos RHs das empresas, conscientizando os funcionários a se informarem e adotarem ações preventivas, proporcionando grandes benefícios para a equipe:

– Gerando mais engajamento entre o grupo;

– Reduzindo os níveis de estresse no trabalho;

– Aproximando as pessoas através da empatia;

– Humanizando as ações tomadas pelos gestores;

– Estimulando o autocuidado entre os funcionários.

 

A prevenção é o melhor remédio

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados apenas adotando hábitos saudáveis como a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada.

Mulheres de todas as idades podem realizar o autoexame uma vez por mês fora do período menstrual. Qualquer alteração perceptível nas mamas pode ser um indicativo de problemas graves, por isso, procure um médico.

A mamografia é obrigatória após os 40 anos de idade, e através dela é possível detectar nódulos imperceptíveis, que não podem ser identificados no autoexame.

Acompanhe o nosso blog.
Curta a nossa página no Facebook.

Psicologia Organizacional e Positiva

Ser feliz no ambiente de trabalho e na profissão que se exerce impacta diretamente na qualidade da vida pessoal. Uma pesquisa feita pela Gallup indica que 85% das pessoas no mundo se sentem desengajadas ou insatisfeitas em seu local de trabalho.

Neste cenário, a psicologia organizacional surgiu para auxiliar as empresas da atualidade a promover o bem-estar dos funcionários no local de trabalho.

 

O que é psicologia organizacional

A psicologia organizacional estuda o comportamento dos funcionários e os fenômenos psicológicos que acontecem em uma empresa, além do impacto destes comportamentos no ambiente organizacional.

Tem como objetivo garantir a qualidade de vida dos colaboradores através de um bom clima organizacional contribuindo com condições favoráveis de trabalho, desenvolvimento de profissionais e a relação harmônica entre eles.

Está inserida em todos os processos que envolvem um ambiente favorável para o indivíduo e a empresa.

 

Áreas de atuação

Ligada à gestão de pessoas, a psicologia organizacional pode estar presente em diversos setores do organograma de uma empresa. Esta área possui atividades, como:

Recrutamento e Seleção: para encontrar profissionais que se encaixem no perfil da empresa.

Treinamento e Desenvolvimento: manter os profissionais novos e antigos em dia com treinamentos.

Clima organizacional: medir a motivação dos funcionários pode auxiliar na mudança de pontos que não estão ajudando.

Gestão de conflitos: um ambiente pacífico e harmonioso garante um clima amigável entre os funcionários.

Análise do plano de cargos e salários: a possibilidade de crescimento dentro da empresa serve como uma grande motivação e deve ser analisada pela área da psicologia.

Diagnóstico organizacional: essencial para medir os pontos positivos e negativos da empresa visando melhorar nos próximos anos.

 

A importância da psicologia no trabalho

Um ambiente equilibrado faz com que a equipe resolva possíveis conflitos e desafios de maneira tranquila. A psicologia organizacional é essencial para entender o comportamento das pessoas no ambiente em que estão inseridas. Deve proporcionar boas condições de convivência que favoreçam o desempenho positivo de qualquer funcionário permitindo que o mesmo seja ouvido.

A qualidade no ambiente de trabalho envolve respeito aos horários de pausa, segurança, comunicação, respeito mútuo, boa relação com a gestão, ética profissional e uma série de outros fatores. Esse conjunto de elementos faz com que o rendimento dos funcionários seja positivo.

Contribui para a prevenção de acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, insatisfação e mal-estar no trabalho.

 

Aplicação da Psicologia Organizacional

O psicólogo empresarial avalia a empresa, o ambiente em que está inserida e as equipes que fazem parte da organização. Auxilia no diagnóstico das principais falhas e problemas que o ambiente possui implementando as soluções mais eficazes.

Através disso, é possível promover ações que motivem funcionários individual e coletivamente, melhorando o clima organizacional.

A empresa pode aplicar a psicologia organizacional internamente, através de um psicólogo que faz parte da equipe e lida com seus colaboradores diariamente ou externamente, com a consultoria de um psicólogo durante uma crise ou para evita-la.

 

Psicologia Positiva como solução

Conhecida também como Psicologia da Felicidade, tem como objetivo o estudo das emoções, traços individuais, das relações e instituições positivas. Propõe a identificação com o que nos torna realmente felizes e não apenas um pensamento otimista.

A psicologia positiva pode ser aplicada na gestão de pessoas abordando temas como relacionamentos positivos, engajamento, sentido na vida e otimismo, práticas capazes de contribuir para a ressignificação do indivíduo no trabalho.

 

Saúde mental e como ser feliz no trabalho

A saúde mental dos trabalhadores sempre foi colocada em segundo plano nos ambientes organizacionais, mas atualmente tem preocupado muitos setores. O local que deveria oferecer condições para o desenvolvimento das pessoas causa infelicidade gerando um aumento significativo de doenças mentais.

A saúde mental no trabalho tem seguido uma tendência mundial, causando um impacto negativo e severo nas vidas de muitos trabalhadores.

No passado, as doenças físicas eram o principal fator para o afastamento do colaborador, enquanto no cenário atual os casos de depressão são os que mais incapacitam profissionais.

 

Fatores de risco

A Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca alguns dos principais fatores que causam riscos a saúde psíquica no local de trabalho:

– Assédio e bullying;

– Políticas inadequadas de saúde e segurança ou a falta delas;

– Má gestão e falta de comunicação entre as equipes;

– Falta de participação na tomada de decisões;

– Longas jornadas de trabalho com horários inflexíveis;

– Responsabilidade inadequada à capacidade do funcionário;

– Risco de desemprego.

 

Depressão e ansiedade no trabalho

Mais de 300 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo e cerca de 11 milhões destes casos estão no Brasil. Dados da Previdência Social indicam que a doença é responsável pelo afastamento do trabalho de mais de 75 mil brasileiros.

Em uma pesquisa feita pelo livro “É impossível se reinventar e integrar a vida pessoal e profissional” os índices de adoecimento mental no trabalho indicam que 90% das pessoas estão infelizes em seus empregos, 36,52% estão insatisfeitas com as atividades que desempenham e 64,24% desejam fazer algo diferente para alcançar felicidade.

A depressão e a ansiedade indicam uma perda de US$ 1 trilhão em produtividade por ano.

A OMS indica que o Brasil é o país mais ansioso do mundo, onde cerca de 9,3% da população sofre com transtorno de ansiedade e seu caráter epidêmico está ligado ao local de trabalho.

Os tipos mais encontrados de ansiedade são:

– Transtorno de Ansiedade Generalizada (TGA) – estado marcado pela preocupação constante e exagerada com situações das esferas sociais.

– Síndrome do Pensamento Acelerado: causada pela exposição excessiva a grandes quantidades de atividades e uso compulsivo de computadores e celulares.

Ambientes de trabalho ameaçadores, estressantes e repletos de incertezas prejudicam a saúde do trabalhador e desenvolvem transtornos mentais.

 

Mantendo a saúde mental no trabalho

O salário ou cargo elevado não compensam o desgaste físico e psicológico causados na vida dos funcionários, por isso, grandes empresas têm optado por construir um ambiente saudável e positivo para promover o equilíbrio emocional de seus colaboradores.

Através do desenvolvendo práticas e políticas que reduzem os fatores de risco, criação de aspectos positivos e valorização dos funcionários é possível contribuir para a saúde física e mental de cada um.

Momentos de descanso, atividades físicas e ginástica laboral são algumas ações simples que também causam grandes benefícios mentais, capazes de prevenir o aparecimento de sintomas de depressão e garantir o bem-estar.

Uma dica valiosa para quem está sobrecarregado é respeitar seu momento de descanso. Não deixe os problemas que acontecem na empresa afetem a sua vida pessoal.

O equilíbrio entre a qualidade de vida pessoal e profissional impacta diretamente em sua produtividade.

Quem não sonha com um emprego no qual pensar nele não cause a sensação de obrigação ou mal estar?

A importância da retenção de talentos

O mercado de trabalho está cada vez mais concorrido e os profissionais da atualidade não se contentam em permanecer apenas em sua área, mas investem em capacitação para se tornarem cada vez mais versáteis, em busca de oportunidades melhores.

Neste cenário, a troca frequente de emprego tem crescido no meio profissional, o que leva as empresas a terem uma maior rotatividade de profissionais capacitados.

Investir em práticas e políticas para manter os colaboradores na organização pode ajudar a diminuir a taxa de turnover e garantir os melhores profissionais em sua equipe.

Para que isso aconteça, a retenção de talentos aparece como uma estratégia que visa a permanência dos colaboradores a longo prazo na empresa, evitando perdê-los para a concorrência.

 

O ambiente

A retenção de talentos está diretamente ligada a qualidade de vida do funcionário dentro da empresa. Um ambiente hostil, sobrecarregado de tarefas, com falta de comunicação por parte da gestão e que desmotive os trabalhadores são alguns dos fatores que podem levá-los a se demitirem.

Alguns fatores devem ser notados:

– O comportamento de seus funcionários;

– A demanda de trabalho estar sobrecarregando o colaborador;

– Se a cultura de trabalho é motivadora;

– Se a empresa está oferecendo o treinamento específico para o trabalhador;

– Se existe abertura para diálogo, expressar ideias e receber feedback.

A desatenção com os funcionários pode gerar frustração.

 

Práticas

Algumas práticas de valorização podem ser implementadas na política da empresa, como a oportunidade de crescimento e desenvolvimento profissional, o incentivo à capacitação dos colaboradores e a motivação para alcançarem novas metas.

Separamos algumas dicas para que você possa criar o seu plano de retenção de talentos:

– Crie um plano de carreiras: através dele, o colaborador pode visualizar suas possíveis oportunidades dentro da empresa e almejar o crescimento profissional.

– Estabeleça uma política de contratação: auxiliando na adaptação do novo colaborador, fazendo com que ele esteja em sintonia com a forma de trabalho da empresa.

– Desenvolva talentos: crie um ambiente de trabalho que faça seu funcionário se sentir uma parte importante da empresa.

– Comunicação aberta e honesta: nada melhor do que trabalhar em um local onde há comunicação entre as pessoas e uma relação transparente entre colaboradores e gestores.

– Oportunize o crescimento: desenvolva seus colaboradores, motive-os para que cresçam e tenham sucesso. Ofereça oportunidades de aprendizado.

 

Proporcionar um ambiente organizacional saudável é interessante para os colaboradores. Não deixe de adotar estas práticas para que sua empresa possa ter um time coeso, com a participação dos melhores profissionais. Consulte o culture code de outras empresas para se inspirar.

 

Saiba mais sobre as tendências de RH em nosso blog.
Curta e compartilhe a nossa página no Facebook.

Culture code e o impacto na identidade da sua empresa

O culture code é um termo pouco usado pelo ambiente corporativo, mas pode ser um grande aliado para aumentar a identificação de colaboradores com uma empresa, potencializando seus resultados. Quando adotado da forma correta, beneficia os processos internos permitindo que metas e objetivos de uma empresa sejam alcançados.

A identidade de uma empresa é o que a diferencia no mercado, definindo como a companhia passa a ser vista tanto por seus colaboradores, como por outras empresas ou clientes.

 

O que é culture code

O conjunto de práticas e princípios que orientam a atuação dos funcionários e definem a identidade de uma empresa, como ela funciona, o que valoriza e acredita.

Ajuda a atrair novos talentos que se identificam com o perfil da empresa e compartilham seus valores, mostrando a clientes e funcionários o que podem esperar dela, sendo uma garantia de proximidade e transparência.

 

Culture code e cultura organizacional

A cultura organizacional compõe a missão, visão e valores que determinam o comportamento institucional de uma empresa. O culture code é o documento que formaliza estes comportamentos de forma escrita, documentada e mais completa.

Em uma seleção, ao conhecer o culture code da empresa, o colaborador antes mesmo da contratação pode identificar se possui e acredita nos mesmos valores e propósitos da organização.

Isto é importante para que ele tenha mais facilidade para desenvolver todo o seu potencial, fazendo um trabalho mais eficiente e sendo mais feliz no ambiente de trabalho.

 

Benefícios

Funcionários que conhecem as diretrizes e objetivos da empresa tendem a contribuir para o seu desenvolvimento. O culture code vem como um instrumento que fortalece a cultura da organização, fazendo com que ela se torne um diferencial no mercado, a partir de um time coeso e harmonioso que compartilha dos mesmos princípios. Ele é capaz de unir as equipes permitindo uma interação maior, que motiva os colaboradores.

 

Como aderir

Por mais difícil ou utópico que possa parecer, elaborar um culture code é um processo possível e empresas como GOOGLE e NETFLIX que aderiram a esta iniciativa podem servir como inspiração.

Inicie definindo os principais valores e a visão da sua empresa, as informações mais importantes que a representam. O culture code pode ter qualquer tamanho. O da NETFLIX, por exemplo possui mais de quatro mil palavras, enquanto outros são menores, como o da empresa Clarabridge, que possui apenas três frases.

 

Dicas:

Crie um conteúdo simples, de fácil leitura;

Deixe o manual em um local acessível para que todos possam vê-lo;

Engaje a equipe para que siga os valores da empresa;

Disponibilize para clientes internos e externos.

 

Saiba mais sobre as tendências de RH em nosso blog.
Curta e compartilhe a nossa página no Facebook.

Contratação CLT ou PJ? Veja quais as diferenças de contrato

O mercado de trabalho está em constante transformação, se tonando mais flexível, principalmente no ramo da comunicação, marketing digital, criação, desenvolvimento e tecnologia. Estas segmentações profissionais permitem trabalhos home office, com horários ajustados e foco em projetos específicos e tem sido mais procuradas por graduandos.

Frequentemente, as ofertas de trabalho permitem a escolha entre os formatos de contratação CLT e PJ. Após a Reforma Trabalhista de 2017, o mercado nacional tem buscado se adequar as necessidades das empresas e dos funcionários, facilitando a relação entre eles.

CLT e PJ

As contratações CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) e PJ (Pessoa Jurídica) são as formas mais comuns que podem ser ofertadas de acordo com a necessidade da empresa e perfil do candidato.

O regime CLT se refere ao trabalhador que é registrado em carteira assinada pelo empregador, cumprindo uma rotina fixa, tendo salário e função especificados. Esta contratação oferece direitos para o colaborador como trinta dias de férias após um ano de trabalho, 13º salário, licença maternidade, entre outros. Assegura o trabalhador sobre remuneração e vantagens. Porém possui os descontos de INSS e FGTS, fazendo com que o salário recebido não seja o mesmo combinado.

A contratação PJ designa uma prestação de serviços do profissional que não tem vínculo direto com a empresa contratante, tendo em vista um cronograma de início e término da atividade. O salário combinado é pago sem descontos ou contribuições sindicas e o profissional não tem um horário específico a ser cumprido o que lhe oferece mais liberdade. O regime oferece a oportunidade de trabalho remoto para mais de uma organização.  O empregador deve emitir notas fiscais pelos serviços prestados. Benefícios não são oferecidos ao profissional que tem que arcar com custos extra.

 

Conclusão

Cada empresa tem uma política de trabalho e um objetivo a ser alcançado na contratação de um novo colaborador. O ideal é conhecer o que ela pode oferecer antes de optar por um regime de contrato, medindo os prós e contras que cada um oferece, pois não existe um padrão a ser seguido.

Essa decisão depende muito das expectativas que o contratante e o contratado tem um em relação ao outro, além do que ambos podem oferecer.

Analisar as possibilidades pode sanar as principais dúvidas sobre o que o funcionário deve cumprir e o que a empresa está disposta a oferecer evitando problemas futuros. É essencial que tanto o contratante como o empregado estejam cientes das leis trabalhistas que regem os vínculos.

 

Se você precisar de ajuda para sua contratação entre em contato conosco

Aproveite e conheça também nossa página no Facebook e acesse os conteúdos do nosso blog.

Como engajar colaboradores? Confira 7 ideias infalíveis!

Engajar colaboradores tem sido uma tarefa cada vez mais valorizada por gestores e profissionais de RH. 

Isso porque colaboradores motivados e engajados com a empresa produzem mais e melhor, além de participar na construção de um ambiente agradável, reduzir o índice de absenteísmo e diminuir o turnover de funcionários.

Continue lendo

O que é educação corporativa nas empresas?

Quer descobrir o que é educação corporativa e sua importância? Clique e descubra! Continue lendo

Técnicas para Gestão e Desenvolvimento de Pessoas

Desenvolvimento de pessoas exige técnicas de gestão mais humanas Continue lendo

Antigos Posts Recentes Posts

© 2021 Blog Missão RH